Tag Archive: DC Comics


Depois de muita expectativa por parte da mídia e do público, finalmente estreou neste último fim de semana no Brasil O Homem de Aço (Man of Steel)

Primeiro: como se esperava, o filme segue o tom mais sério e dramático adotado por Christopher Nolan na trilogia do Batman. Vale lembrar que Nolan é um dos produtores de O Homem de Aço e David Goyer, que também escreveu os roteiros dos três filmes do Homem Morcego, foi o responsável pela trama da “reinvenção” do Superman no cinema. Fora uma ou outra frase dita por algum personagem coadjuvante, o filme não possui alívios cômicos. Ou seja, não é uma produção “para toda a família”, na linha das adaptações de Homem de FerroOs Vingadores e Thor feitas pela Marvel Studios. Percebe-se que a Warner Bros. vai seguir mesmo um caminho oposto ao da concorrência, ainda mais depois do fiasco que foi Lanterna Verde (Green Lantern, 2011).

Continue lendo o texto…

Anúncios

Henry Cavill,Novo O Homem de Aço,Homem de Aço é comparado a Jesus para atrair público Cristão. Para divulgar o longa ‘O Homem de Aço’ entre os cristãos, os estúdios Warner Bros. recorreram a um portal segmentado. Na primeira campanha, Jesus é apresentado como ‘o super-herói original’

Em uma tentativa de atrair a audiência dos cristãos, os estúdios Warner Bros. contrataram os serviços de uma empresa de marketing especializada no público gospel para divulgar o filme O Homem de Aço, previsto para estrear em 12 de julho no Brasil. Segundo o site americano The Hollywood Reporter, a primeira iniciativa nesse sentido foi a publicação do texto intitulado “Jesus – O Super-herói Original” em um portal que sugere temas de sermões a pastores.

“As origens do Super-Homem estão baseadas na história de outro super-herói que também viveu de forma modesta até ser requisitado a demonstrar seus superpoderes. Jesus foi enviado por Deus para nos ajudar a carregar nosso fardo, para corrigir nossos vícios e superar as circunstâncias adversas que nos cercam”, diz a mensagem escrita por Craig Detweiler, um roteirista de cinema e publicidade com experiência em textos religiosos.

De acordo com o site, é praxe em Hollywood focar ações de divulgação em audiências religiosas. O próprio Detweiler já escreveu sermões relacionados a outros filmes, como Um Sonho Possível (2009).

O autor foi criticado por alguns cristãos, que repudiaram a forma leviana como falou de Jesus. Em entrevista à rede CNN, Detweiller alegou que é impossível negar a influência de Hollywood na sociedade. “Hollywood testa a nossa fé. Graças a pastores e congregações conscientes dessa influência, os estúdios de cinema têm ouvido a nossa voz “

Créditos: Veja

cartaz-o-homem-de-acoEstreia nesta sexta-feira nos cinemas o longa-metragem O Homem de Aço, que promete dar início a mais uma sequência de filmes do herói Super-Homem.

Adaptar histórias de sucesso para o cinema é sempre difícil. Quando a adaptação em questão é de um dos personagens de quadrinhos mais populares de todos os tempos, então, é ainda mais complicado. Por isso foi árdua a tarefa que o diretor Zack Snyder (300Watchmen) recebeu ao aceitar comandar Homem de Aço.

Desta vez, um novo olhar, ainda mais apoiado em efeitos especiais e um orçamento estimado em US$ 225 milhões, Snyder não só teve de trazer Clark Kent para os dias atuais, como também de fazê-lo à altura dos recentes sucessos na transposição de heróis para as telas, como o Batman de Christopher Nolan – aqui, aliás, como produtor do longa. É justo dizer que ele conseguiu cumprir ao menos parte da tarefa.

O longa-metragem começa com o nascimento de Kal-El (o Super-Homem) no planeta Krypton – fadado ao fim. O bebê logo é enviado à Terra por seu pai, o cientista Jor-El (Russell Crowe). Conselheiro de Krypton, o personagem é jurado de vingança pelo general Zod (Michael Shanon), vilão que ele impede de tomar o poder. Antes de ser preso, porém, Zod promete ir atrás do filho do inimigo no futuro, na Terra, adotado por um casal pacato, Jonathan (Kevin Costner) e Martha (Diane Lane) e Kal-El (Henry Cavill) passa a se chamar Clark Kent.

Assim como o Batman de Nolan, Clark Kent é um homem atormentado, o que é enfatizado logo no início, em uma longa sequência que mostra o herói em uma jornada para descobrir quem é e de onde veio – o que acaba levando, também, à sua transformação em Super-Homem.

A sua luta para se adequar à vida na Terra é apresentada por meio de memórias de sua infância. Quando descobre sua origem, porém, ele se transforma em Super-Homem e atrai a atenção de Zod. Como prometido, o vilão tentará dominar o filho de Jor-El e a Terra, cabendo ao herói enfrentar o inimigo. E  assim permanece, até que seu caminho cruza com o da repórter Lois Lane (Amy Adams), que investiga a descoberta de uma suposta nave espacial sob o gelo. É aí que o herói vai descobrir sua verdadeira identidade .

No clímax de  “O Homem de Aço” em sua reinvenção cinematográfica do herói, Superman enfrenta o General Zod em uma batalha de superseres jamais vista no cinema. Em outras palavras: o número de corpos nos destroços é imenso, a destruição é quase interminável. Imagine o clímax de “Os Vingadores” turbinado por um Michael Bay em escala maior do que no terceiro “Transformers”.

Mostrando-se muito melhor que seu horrendo antecessor, Homem de Aço tem tudo para ser o primeiro de uma série de grandes filmes de um herói por muito esquecido.

O site Bleeding Cool, anunciou que o Monstro do Pântano (Swamp Thing), personagem da DC Comics que nas mãos de Alan Moore foi o precursor da Vertigo Comics, voltará ao Universo DC ao lado de outros super-heróis.

Após a série de Moore, ou seja, durante as últimas décadas, o personagem esteve confinado ao universo fechado da Vertigo, sem nenhuma interação com outros heróis. Conforme o site, a revista originalmente foi planejada para o selo Vertigo, mas Dan Didio, co-publisher da DC Comics, decidiu aproveitar a nova HQ para reinserir o Monstro do Pântano no universo normal da editora.

Didio decretou que qualquer personagem que tenha sido criado dentro do Universo DC, como é o caso do Monstro do Pântano, criado por Len Wein e Berni Wrightson, deve voltar para a DC Comics. Swamp Thing ganhará uma nova revista, cuja equipe criativa ainda não foi anunciada, e vai interagir com personagens como a Liga da Justiça.

Outros personagens que podem ter o mesmo destino, ou pelo menos voltarão a ser vistos fora das revistas da Vertigo são a Orquídea Negra e Shade. O grande mistério continua sendo John Constantine, que embora tenha sido criado na revista Swamp Thing, antes da fase Vertigo, é, junto com Sandman, uma das pilastras iniciais do selo adulto da DC Comics.

O Monstro do Pântano foi um dos títulos precursores do selo Vertigo, juntamente de Homem-Animal, Sandman e outros.

A saga do Monstro do Pântano começa com o cientista Alec Holland tentando criar uma bio-fórmula restaurativa nos pântanos da Louisiana. Vítima de uma explosão causada por pessoas que queriam a tal fórmula, Holland falece. Mas seus restos se juntam ao pântano, criando um elemental da Terra, uma criatura formada pelo pântano, tendo forma humanóide, e portando sendo chamada de Monstro do Pântano.

Lanterna Verde

O site SlashFilm divulgou a sinopse oficial de Lanterna Verde, dirigido por Martin Campbell (007 Cassino Royale) e adaptado dos quadrinhos da DC Comics, por Greg Berlanti (da série “Brothers and Sisters”), Michael Green (das séries “Heroes” e “Smallville”), Marc Guggenheim (“X-Men Origens: Wolverine”) e  Michael Goldenberg (“Harry Potter e a Ordem da Fênix”)

Confira a sinopse abaixo:

Em um universo tão vasto quanto misterioso, uma pequena, mas poderosa força existe há séculos. Protetores da paz e da justiça, eles são conhecidos como a Tropa dos Lanternas Verdes. Integrantes de uma irmandade de guerreiros que jurou manter a ordem intergaláctica, cada Lanterna Verde usa um anel que lhe garante superpoderes. Mas quando um novo inimigo chamado Parallax ameaça destruir o equilíbrio do poder do universo, seu destino e o destino da Terra repousam nas mãos do seu mais novo recruta, o primeiro humano a ser selecionado para a Tropa: Hal Jordan.

Hal é um piloto de testes cheio de talento e arrogante, e os Lanternas Verdes têm pouco respeito pelos humanos, que nunca detiveram as infinitas forças do anel antes. Porém, Hal é claramente a peça perdida de um quebra-cabeças e, junto com a sua determinação e força de vontade, ele tem uma coisa que nenhum outro membro da Tropa jamais teve: humanidade. Com o apoio da piloto e sua namorada de infância Carol Ferris, Hal precisa conseguir rapidamente dominar seus novos poderes e encontrar coragem para vencer seus medos, se quiser provar que não é apenas a única pessoa capaz de derrotar Parallax… mas também alguém com o potencial para se tornar o maior Lanterna Verde de todos.


No elenco  estão os atores Ryan Reynolds (“A Proposta”), Marc Strong (“Sherlock Holmes”), Blake Lively (da série “Gossip Girl”), Peter Sarsgaard (“A Órfã”), Tim Robbins (“Sobre Meninos e Lobos”), Angela Bassett (“Prova de Fogo : Uma História de Vida”) e Temuera Morrison (“Star Wars: O Ataque dos Clones”).

A estreia está prevista para 17 de junho de 2011, nos formatos 2D e 3D.

Superman: The Last Family of Krypton, é escrita por Cary Bates, um dos escritores clássicos do icone da DC, e desta vez unto de  Renato Arlem e o capista Felipe Massafera, ambos brasileiros. A nova HQ propõe um cenário um tanto diferente para a origem do Superman: enquanto seu planeta foi de fato destruído, Kal-El não veio sozinho para a Terra, mas sim acompanhado de seus pais.

De acordo com Bates, que já escreveu o Superman durante vários períodos entre as décadas de 70 e 90, sua idéia é contar mais uma história da família El durante trinta anos do que reimaginar uma origem.

A chance de explorar uma família kryptoniana vivendo na Terra é muito fascinante“, disse o escritor. “Uma vez passado o frenesi de invasão alienígena e de teorias de conspiração, os El se tornam as pessoas mais famosas do planeta e advinha qual o bebê mais fotografado do mundo?

A HQ vai mostrar um cenário totalmente novo. Kal-El é uma celebridade sendo criada por pais superpoderosos que são vistos como deuses pelo resto da raça humana. Além da criança, Bates disse que explorará outros personagens da mitologia do Superman, como a família KentLex Luthor e até outros heróis da DC.

Superman: The Last Family of Krypton será lançada em agosto, durando três edições e marcando o retorno do selo Elseworlds, com versões alternativas dos heróis da DC.

Créditos:Leandro Damasceno

DC cancela mangás da linha CMX

A DC Comics anunciou de vez o cancelamento do selo CMX de mangás.O anuncio aconteceu hoje dia 19 de maio por Jim Lee e Dan Didio. A partir de 1º de julho a DC não distribuirá mais nenhum titulo CMX, com exceção de Megatokyo por apresentar ainda vendas que justificam a sua permanência nas prateleiras.

Megatokyo é uma série produzida por um artista estadunidense, que surgiu como um webcomic. Os primeiros volumes impressos foram publicados pela Dark Horse Comics.

A decisão da DC Comics de cancelar o selo CMX vem na esteira de que recentemente a Viz Media, empresa que licencia vários mangás nos EUA, demitiu 40% de seus funcionários e dos problemas da Tokyopop com a Kodansha.

Os acontecimentos mencionados acima são indicadores fortes de que, ao contrário do resto do planeta, o mangá não está numa boa fase nos Estados Unidos.

A DC Comics anunciou o lançamento de 75 Years of DC Comics: The Art of Modern Mythmaking, um livro comemorativo de seus 75 anos. A publicação sairá em parceria com a editora de livros Taschen, e será escrita por Paul Levitz.

Haverá uma linha do tempo da editora, e a biografia de seus mais proeminentes heróis, vilões, roteiristas e desenhistas. Não há data de lançamento confirmada até o momento.

Nem todos os detalhes da publicação estão confirmados mas sabe-se que ela terá mais de 650 páginas e mais de 1500 imagens, entre capas, páginas clássicas, fotos e outros materiais.

O retorno de Bruce Wayne

A DC Comics mostrou nesta quinta-feira (06) um preview da primeira edição de Batman: The Return of Bruce Wayne.

A mini mostrará Bruce Wayne perdido pelo tempo, amnésico, depois de sua suposta morte na saga Crise Final. O roteiro é de Grant Morrison, com um artista diferente a cada edição. Todas as edições terão capas de Andy Kubert.

Batman é o milionário Bruce Wayne. Órfão ainda criança, quando seus pais foram assassinados por um assaltante, dedicou a partir daí sua vida e fortuna a treinamentos e equipamentos, até se tornar o guardião uniformizado de Gotham City. Atualmente considerado morto, Bruce foi substituído no papel de Batman por Dick Grayson, seu primeiro Robin.

A volta do homem morcego original, que sai nos EUA dia 12 de maio:

Superman: Earth One – Novidades

No final de 2009 a DC Comics anunciou o projeto Earth One, que mostrará seus mais icônicos heróis desde o primeiro dia, em uma nova cronologia, ou como dá a entender o nome da linha, numa nova Terra. Os primeiros heróis a ganharem essa nova versão serão Superman (roteiro de J. Michael Straczynski e arte de Shane Davis) e Batman (roteiro de Geoff Johns e arte de Gary Frank).

Essas novas histórias não acontecerão em minisséries ou revistas mensais, mas sim numa série de graphic novels, com cada personagem tendo dois ou três volumes por ano.

Segundo o site da Amazon, o primeiro volume de Superman: Earth One chega às lojas americanas no dia 2 de novembro. O site divulgou também a capa da graphic novel. A edição, em capa dura e com 136 páginas, custa US$ 19.90.

Straczynski promete mostrar a evolução de Clark Kent desde sua adolescência ainda em Smallville, explorando ainda os momentos que o fizeram optar pela carreira super-heróica em Metrópolis. O roteirista deixou claro que pretende mostrar o dia a dia no jornal Planeta Diário de modo mais realista, principalmente no que diz respeito ao personagem Jimmy Olsen. A motivação de Straczynski neste caso é bem pessoal, já que ele trabalhou na redação de um jornal no início de sua carreira.

Criado por Joe Shuster e Jerry Siegel, Superman é Kal-El, até pouco tempo considerado o último sobrevivente do planeta Krypton. Enviado por seu pai à Terra ainda bebê durante os últimos momentos de vida de Krypton, é encontrado por um casal de gentis fazendeiros, que o criam até que se torna o repórter Clark Kent. Graças à radiação de nosso Sol amarelo, desenvolve incríveis e variados poderes, com os quais se torna o Superman, o maior herói do mundo.

Já esta nas bancas a edição #21 da revista Mundo dos Super-Heróis, trazendo neste número um dossiê sobre o Lanterna Verde, um dos mais importantes super-heróis da atualidade. São 24 páginas com toda a mitologia da Tropa dos Lanternas, desde os anos 1940 até A Noite Mais Densa, a série atual de maior sucesso da DC Comics.

O dossiê traz informações sobre a origem da Tropa dos Lanternas Verdes; sobre Alan Scott, o primeiro Lanterna; Hal Jordan, o maior herói da Tropa; John Stewart, um reserva valoroso; Guy Gardner, o Lanterna rebelde; Kyle Rayner, o último Lanterna; outros membros da Tropa que merecem destaque; a guerra entre os diferentes anéis e seus significados; e as 10 HQs imperdíveis.

A revista traz também um especial sobre Miracleman, matérias sobre os Defensores, Kick-Ass, Doc Savage, Spectreman, Leão Negro, a clássica revista Super X da Ebal. E ainda: Garimpo na Net, Action Figures, Clássicos da Era de Ouro, Artista da Capa, Heróis da América Latina e muito mais.

A revista chega primeiro nas capitais de São Paulo e Rio de Janeiro e, na segunda quinzena de junho, nas demais regiões. A revista é um lançamento da Editora Europa.

Formado por super-heróis que trabalham diretamente com o governo norte-americano, o grupo The Mighty Crusaders terá sua própria revista mensal a partir de julho desse ano. A DC Comics revelou a novidade durante a última convenção da C2E2, que aconteceu em Chicago.

Uma edição única chamada Mighty Crusaders Special será lançada em maio e contará a história de como os membros do grupo se juntaram. Dois meses depois, veremos como um grupo consegue atuar e salvar o mundo tendo que lidar com toda a burocracia de ser patrocinado pelo governo na revista mensal Mighty Crusaders.

Os escritores Eric Trautman e Brandon Jerwa serão os responsáveis pelo título, que terá arte de Julian Lopez. Jerwa disse que o grupo atuará como uma forma de resgatar a confiança do público em super-heróis, principalmente após os acontecimentos de Novo Krypton. “Eles têm um relações públicas que os apresenta oficialmente para os cidadãos do Universo DC e é aí que começamos a história. O grupo já está junto há algum tempo, mas é na revista mensal que eles farão sua primeira aparição pública como um time“.

O escritor ainda disse que conheceremos os membros da equipe ao longo do tempo, com histórias separadas focadas em cada um, bem ao estilo da série de TV Lost. Alguns serão personagens conhecidos, outros serão rostos totalmente novos. Entre os já estabelecidos estão Shield, Comet, Web, FoxInferno. Alguns dos novos serão War Eagle e Fly Girl, sendo que mais personagens repaginados da Archie Comics serão trazidos de volta.

Veremos, segundo os escritores, como os Cruzaders se encaixam na mitologia do Universo DC e poderemos ainda acompanhar a participação de personagens mais estabelecidos da editora nas páginas da revista mensal do grupo. Apesar de não revelarem nomes, eles disseram que uma dessas participações especiais será de alguém que já apareceu antes nas revistas da linha Red Circle e que supervisionará o grupo e fará a ponte entre os Crusaders e o governo.

Com a chegada da nova equipe criativa da revista mensal do Gladiador Dourado (Keith Giffen e J.M. DeMatteis no roteiro e o brasileiro Chris Batista na arte), parecia que não veríamos mais o herói em aventuras feitas por seu criador, o até então roteirista e desenhista da revista, Dan Jurgens.

Eis que a última edição lançada nos EUA trouxe uma boa surpresa, depois melhor detalhada no blog oficial da DC Comics. Rip Hunter, o viajante do tempo que é o “chefe” do Gladiador, detectou no Ponto de Fuga (um local no final dos tempos, acessível apenas aos viajantes temporais) uma anomalia no tempo, envolvendo o Batman.

Ao termino da saga Crise Final, Batman foi jogado pelo tempo.

Ao que parece, Rip Hunter vai se convencer de que Bruce Wayne está perdido no tempo e vai começar a procurar por ele junto a outros heróis – pelo menos é disso que se trata a agora batizada Time Masters – Vanishing Point, minissérie de seis edições que começa em julho escrita por Dan Jurgens, que vem cuidando de Rip há meses na revista do Gladiador Dourado.

Em seis edições, a trama será paralela ao retorno de Bruce, mostrando Hunter, Gladiador, Superman e o Lanterna Verde Hal Jordan formando um novo time de Mestres do Tempo (a antiga equipe de Hunter) para buscar Batman pelo tempo. A mini começará em julho, com roteiro e arte de Jurgens, que faz também uma das capas do primeiro número. A outra é de Chris Sprouse e Karl Story.  A arte-final interna fica por conta de Norm Rapmund.

A busca pelo herói perdido não é a única motivação do grupo, já que a anomalia causada por causa disso está destruindo não só o Ponto de Fuga, como o próprio tempo.

Em entrevista ao site Newsarama, Jurgens prometeu a presença de outros viajantes do tempo na mini e revelou que ela levará a um grande evento em 2011, o qual leitores já apostam ser Flashpoint, revelado nesta semana, e que aparentemente envolve viagens no tempo.

Por fim, Jurgens deu a entender que veremos os Homens Lineares na trama. Tal grupo foi criado pelo próprio Jurgens, e era composto por viajantes do tempo que usavam o Ponto de Fuga como base. Uma versão mais velha de Rip Hunter fazia parte da equipe.