Category: Noticias


trekconOs fãs da saga Star Trek têm encontro marcado na 17ª TrekCon – Convenção de Ficção Científica, que acontece no dia 3 de agosto, das 14h às 19h, no Memorial de Curitiba. O tradicional encontro dos aficionados pela série televisiva Star Trek (também conhecida no Brasil como Jornada nas Estrelas) terá várias atrações: palestras, debate, apresentação de grupo de dança, concurso de fantasias (cosplay), exposição de memorabilia (itens de coleções) e estandes de divulgação de outros fã-clubes do gênero, que reúnem admiradores de Star Wars , Doctor Who, X-Files e Steampunk, entre outras produções de ficção científica para o cinema e para a televisão.

As convenções e os amantes de Star Trek estão espalhados por vários países. O grupo de Curitiba, denominado Federação dos Planetas Unidos, é um dos mais atuantes do Brasil, e realiza anualmente o encontro que atrai também trekkers de outros estados brasileiros. Pelo menos 500 pessoas transitam pela convenção. Mesmo quem não faz parte do fã-clube pode participar e conhecer os personagens que há quase cinco décadas encantam gerações – Capitão Kirk, Senhor Spock, Doutor McCoy, entre outros famosos tripulantes da nave Enterprise e demais viajantes da Frota Estelar.

A chamada série clássica de Star Trek estreou nos Estados Unidos em 1966. Chegou ao Brasil no final daquela década e conquistou uma geração de crianças e jovens, que até hoje cultivam a paixão pela ficção científica. Foi assim com Roberson Mauricio Caldeira Nunes, 52 anos, presidente da Federação dos Planetas Unidos, a associação que reúne os trekkers curitibanos. “Assistia às séries pela TV ainda em preto branco”, relembra Roberson, que também participa ativamente de outros fã-clubes, como o Conselho Jedi Paraná, o Arquivo X Brasil, a Loja Paraná do Conselho Steampunk e o Whovians Paraná.

Todos esses grupos formam uma legião de amantes da ficção científica, cuja admiração não se limita às produções televisivas ou cinematográficas, mas se estende para outros campos de interesse, como ciência, tecnologia e cultura pop. As séries Jornada nas Estrelas e Guerra nas Estrelas também estão nos quadrinhos e daí a aproximação entre os fã-clubes e a Gibiteca, unidade da Fundação Cultural de Curitiba que foi uma das primeiras a acolher esse tipo de manifestação. As primeiras reuniões aconteceram na Gibiteca e depois, como foram ganhando corpo, passaram a ocupar espaços maiores, como o Memorial de Curitiba. A própria coordenadora da Gibiteca, Maristela Garcia, é uma fã. “Tenho todos os filmes de todas as séries, coleciono tudo o que se refere a eles. Sou apaixonada por Star Trek”, diz.

Nesses anos todos, novos admiradores foram chegando, na medida em que novas produções foram surgindo. Depois de Jornada nas Estrelas, foram feitas outras séries derivadas, inclusive desenhos animados, cujas histórias se passam no mesmo universo, mas em diferentes épocas, entre os séculos XXII e XXIV. Em 2009 estreou no cinema o filme “Star Trek”, e agora neste ano sua continuação, “Além da Escuridão”, com os mesmos personagens da versão original, porém em outra linha temporal. Para o presidente da Federação dos Planetas Unidos a retomada da série terá, sem dúvida, um efeito: aumentar cada vez mais o número de admiradores do universo fictício de Star Trek.

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Anúncios

official-avatar-movie-poster-normalO universo de ‘Avatar’, criado pelo diretor James Cameron, deve ganhar três novos filmes, se tornando assim uma quadrilogia, como revela reportagem do site Variety. Os rumores acerca do assunto circulam há algum tempo e o calendário de estreia previsto para os filmes é de ‘Avatar 2’ em 2016, ‘Avatar 3’ em 2017 e ‘Avatar 4’ em 2018, todos com lançamento no mês de dezembro.

Os roteiros das continuações estão sendo escritos por Josh Friedman, criador da série para TV ‘Terminator: The Sarah Connor Chronicles’, Rick Jaffa e Amanda Silver, de ‘Planeta dos Macacos: A Origem’, e Shane Salerno, de ‘Selvagens’.

Atualmente, James Cameron está morando na Nova Zelândia e trabalhando na pré-produção dos novos longas.  Cameron afirmou que as gravações dos novos longas-metragem devem começar somente quando ele finalizar os dois roteiros – o diretor não cumpriu o prazo para a finalização dos roteiros, que terminou em fevereiro.
Os novos filmes que deverão compor a franquia irão contar com novos recursos tecnológicos como sistemas de captação de movimento dos atores debaixo d’água. A informação foi divulgada pelo produtor Jon Landau durante o NAB Technology Summit on Cinema em Las Vegas, Estados Unidos.

“Depois do final de Avatar nós mantivemos uma equipe de artistas digitais trabalhando em testes de captura de movimentos submarinos. Nós podemos simular água em computação gráfica, mas não conseguimos simular a experiência do ator, por isso vamos fazer o processo de captura dentro de um tanque”, explicou Landau. O produtor acredita que com o uso das novas técnicas os próximos dois filmes, Avatar 2 e 3, serão visualmente ainda mais arrebatadores do que o primeiro longa-metragem da série.

A fixação de James Cameron pelos oceanos e mares fez com que ele desenvolvesse técnicas de computação gráfica para levar esse meio com realismo para as telonas do cinema, técnicas estas que podem ser vistas em ‘O Segredo do Abismo’ (1987) e ‘Titanic’ (1998).

Créditos: Bruno Hypólito

donkey-kongDonkey Kong é uma das franquias mais amadas da Nintendo, sendo é uma das únicas capazes de rivalizar em quantidade de fãs com a série do gordinho bigodudo de macacão vermelho, acaba de ganhar uma novidade. Um talentoso fã dos macacos e do próprio Mario, identificado pelo nome GuizDP, produziu uma sequência de Stop Motion.

Para produzir Donkey Kong, Guiz utilizou mais de 1.500 fotografias, vários fixadores coloridos e uma tonelada de paciência até conseguir organizar as imagens de maneira correta. Vale a pena conferir até mais do que uma única vez o vídeo e ficar de boca aberta com a perfeição a que o rapaz conseguiu chegar.  Confira o Vídeo Aqui

Créditos: GuizDP/Maurício M.Tadra

Crítica – Turbo

turbo

Animação pensada para crianças, mas com gracinhas suficientes para divertir também os adultos, “Turbo”, de David Soren, parte de um paradoxo: um protagonista como Téo, um caracol de jardim que se transforma em piloto de automobilismo, na disputada prova das 500 Milhas de Indianápolis.
Nada mais lerdo do que um caracol, certo? Por isso mesmo, Téo (voz de Bruno Garcia na versão brasileira) é obcecado por velocidade. Não se conforma com a rotina diária de sua comunidade, que se limita ao trabalho numa pequena horta de tomates.
Téo passa as noites assistindo a vídeos de corridas de automobilismo, tendo como ídolo o metido campeão francês Guy Champeón — que é a cara do piloto Alain Prost, antigo rival de Ayrton Senna na Fórmula 1.
Chet, o irmão de Téo, é prudente e conservador. Tenta tudo o que pode para tirar a fixação por automobilismo, aparentemente absurda, da cabeça do caçula. Não funciona. Os dois acabam expulsos do jardim, depois de mais um incidente provocado pelo imprudente caracolzinho.
Os dois caem nas ruas da cidade e são capturados por Tito, um dos dois irmãos mexicanos donos de uma taqueria e que é louco por “corridas” de caracóis. Logo Téo e Chet vão conhecer uma turma de lesminhas como eles, só que bem acelerados: Chicote, Descolado, Derrape, Sombra Branca e a garota Brasa (voz de Ísis Valverde).
Apenas quando chega a este novo ambiente e disputa uma “prova”, Téo descobre que tem novos poderes. Ele os adquiriu durante uma escapada noturna, quando entrou num dos veículos que disputavam um racha e foi banhado num combustível aditivado. Por conta disso, o caracolzinho agora “acende” os olhos, como faróis, sintoniza rádios, faz barulhos como um carro e, o que é melhor, corre muito, deixando um rastro brilhante no chão.
Assumindo a identidade de suas fantasias, Turbo vai ser inscrito por Tito nas 500 Milhas de Indianápolis, não sem uma série de atribulações pelo caminho. Mas o regulamento não proíbe caracóis –quem pensaria nisto?– e Turbo vai se defrontar com seu ídolo, Guy, que mostra um lado bem mais competitivo na pista.
Bastante criativo e cheio de humor, o roteiro –assinado por Soren (corroteirista em “O Espanta-Tubarões”), Darren Lemke (corroteirista de “Shrek para Sempre”) e Robert D. Siegel (autor do script do drama “O Lutador”)– mantém o ritmo da animação, desenvolvendo uma turma de coadjuvantes marcantes e diversas sequências bem movimentadas.
Não tem nada de devagar a saga dos caracoizinhos, em que o estúdio Dreamworks parece ter dado uma boa tacada no território dominado pelas produções da Pixar.

 

Créditos: Neusa Barbosa

Depois de muita expectativa por parte da mídia e do público, finalmente estreou neste último fim de semana no Brasil O Homem de Aço (Man of Steel)

Primeiro: como se esperava, o filme segue o tom mais sério e dramático adotado por Christopher Nolan na trilogia do Batman. Vale lembrar que Nolan é um dos produtores de O Homem de Aço e David Goyer, que também escreveu os roteiros dos três filmes do Homem Morcego, foi o responsável pela trama da “reinvenção” do Superman no cinema. Fora uma ou outra frase dita por algum personagem coadjuvante, o filme não possui alívios cômicos. Ou seja, não é uma produção “para toda a família”, na linha das adaptações de Homem de FerroOs Vingadores e Thor feitas pela Marvel Studios. Percebe-se que a Warner Bros. vai seguir mesmo um caminho oposto ao da concorrência, ainda mais depois do fiasco que foi Lanterna Verde (Green Lantern, 2011).

Continue lendo o texto…

Como resultado de pesquisa no mestrado e doutorado em comunicação e linguagens a professora e pesquisadora  Dra. Denise Azevedo Duarte Guimarães publicou recentemente o livro Histórias em Quadrinhos & Cinema – Adaptações de Alan Moore e Frank Miller, Denise é docente aposentada da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e professora do programa de mestrado e doutorado em Comunicação e Linguagens da UTP –Universidade de Tuiuti do Paraná, onde coordena a linha Estudos de Cinema e Audiovisual.

tn_600_580_autora_220513

A professora deve a seus filhos (que costumam usar a casa da mãe como ponto encontro para compartilhar novos títulos de suas coleções, e conversar sobre o interesse comum). Contagiar a matriarca ao tema foi uma questão de tempo, tema ao qual dedicou quase meia década de estudos.

Nos quadrinhos colecionados por seus dois filhos, e ao começar a prestar maior atenção ao diálogo dessas obras com suas respectivas adaptações para o cinema, ela acabou por descobrir um vasto e rico território para o debate acadêmico, tanto no âmbito da narrativa quanto da Semiótica, uma das áreas fundamentais de interesse e pesquisa da professora.

Desde o início dos anos 2000, a indústria do cinema produz cada vez em maior quantidade histórias cuja origem está nas histórias em quadrinhos. O livro é uma publicação independente, na obra são analisados filmes baseados nos trabalhos dos consagrados autores Alan Moore e Frank Miller, a arte-final ficou por conta da editora da universidade, essa publicação é um dos primeiros estudos acadêmicos a respeito desse tema e faz uma discussão teórica sobre as adaptações.

“Meus filhos me deram de presente de aniversário o álbum com a 300 de Esparta, épica graphic novel de Frank Miller, e o filme de Zack Snyder nele baseado. Deles nasceu um artigo”, conta Denise. O texto foi apresentado e despertou bastante interesse no encontro da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine), em 2008, e serviu de ponto de partida para vários outros, analisando as transposições para o cinema de obras de Alan Moore (de Watchman e V de Vingança), cujas narrativas, diz a autora, têm “um viés borgeano, de pseudoilusão e de metalinguagem” e de Frank Miller (do já citado 300 de Esparta e Sin City). “Miller, por sua fez, parece criar seus álbuns como se fossem story boards, com posicionamentos de câmera, cortes, elipses de tempo, como um filme.”

Histórias em Quadrinhos & Cinema – Adaptações de Alan Moore e Frank Miller (220 páginas, ilustração em cores, R$ 45,00) tem tiragem limitada e pode ser adquirido diretamente com a autora, pelo e-mail denise.guimaraes@utp.br (o valor não inclui o frete). Também pode ser encontrado em dois locais de Curitiba/PR: Museu Guido Viaro (Rua XV de novembro, 1348) e Sesc Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques, 189).

Créditos: Samir Naliato

alice_no_pais_das_maravilhasA Disney começa a desenvolver uma sequência de sua bem-sucedida adaptação cinematográfica “Alice no País das Maravilhas”,história que dará continuidade à viagem de Alice (Mia Wasikowska) a esse lugar mágico onde combateu a Rainha de Copas e conheceu o Chapeleiro Louco, interpretado por Johnny Depp.

Um filme de Tim Burton que arrecadou desde sua estreia em 2010 mais de US$ 1 bilhão no mundo todo, informou o site da revista “Variety” “Alice no País das Maravilhas” foi distribuído em 3D e reconhecido com os prêmios Oscar de Melhor Direção de Arte e de Melhor Figurino.

O filme será inspirado no livro de Lewis Carroll, “Through the Looking-Glass”, subtítulo que a sequência deverá também receber. A trama da segunda parte do filme está a cargo de Linda Woolverton, que já trabalhou nos roteiros de clássicos da Disney como “A Bela e a Fera” e “O Rei Leão”, Joe Roth, Suzanne Todd e Jennifer Todd voltarão como produtores.

Na continuação, o diretor Tim Burton (A Noiva Cadaver),será substituido por James Bobin Os (Muppets) Também foi divulgado que a Infinitum Nihil, a produtora de Johnny Depp, assinou um contrato de prioridade com a Disney, até 2011 o vínculo era com a Warner.

Incansável, o ator será o protagonista de “Transcendence” ficção científica de Wally Pfister, com lançamento previsto para 2014.

“Alice in Wonderland 2: Through the Looking Glass” não tem ainda data de estreia prevista.

VDurante os protestos que tomam conta do Brasil, a máscara associada ao grupo hacker Anonymous tomou conta das ruas como símbolo de revolta. Mas você sabe o que ela realmente representa?

A máscara é uma referencia a Guy Fawkes, um famoso conspirador inglês, e foi popularizada no Brasil pelo filme V de Vingança, estrelado por Natalie Portman e Hugo Weaving.

O longa-metragem é inspirado na cultuada Graphic Novel criada por Alan Moore e publicada originalmente em 1983. Na história, a máscara é usada pelo personagem V, um enigmático anarquista que a usa como forma de esconder seu rosto deformado e como símbolo de resistência ao governo totalitário que tomou conta da Inglaterra num futuro  distópico.

Mas quem era Guy Fawkes realmente? Ele foi um soldado inglês que teve participação na “Conspiração da pólvora”, cujo plano era assassinar o rei Jaime I da Inglaterra e todos os membros do parlamento durante uma sessão em 1605. Esse ato seria o início de um levante popular.

Ele foi o responsável por preparar os barris de pólvora que seriam utilizados na explosão. Entretanto, a conspiração falhou e Fawkes foi condenado à forca por traição e tentativa de assassinato. Sua captura é celebrada até os dias atuais no dia 5 de novembro.

Esse momento histórico até ganhou um poema clássico, reproduzido nos quadrinhos e no cinema, que diz o seguinte:

“Lembrai, lembrai, o cinco de novembro

A pólvora, a traição e o ardil;

Por isso não vejo porque esquecer;

Uma traição de pólvora tão vil”

 

Os quadrinhos foram relançados no Brasil recentemente pela editora Panini e uma das edições especiais vem com a máscara de Fawkes.

Créditos; Daniel Reininger

teo-e-os-olhos-de-leordo-fe-em-jesusO sucesso literário escrito por Alexandre Monsores encantou a todos na versão impressa e promete conquistar novos fãs quando invadir as telonas.

O Músico, produtor e também escritor. Alexandre Monsores publicou sua primeira obra pela editora Ágape – pertencente ao grupo editorial Novo Século – durante a Bienal do Livro de São Paulo, em 2011.

 Cristão, o morador de Queimados – na Baixada Fluminense – Alexandre, transformou as oito páginas do rascunho que guardava em “Teo e os olhos de Leordo”. A fábula que conta a história do pequeno Teo, garoto que com 10 anos sofria bullying e numa visita ao sítio de seus avós, entra no tronco de um jovem ipê e vive uma surpreendente aventura num estranho mundo escondido.

 Comparado a clássicos como “As Crônicas de Nárnia” (C.S Lewis), a obra chega a sua segunda edição e recebeu a proposta de uma das divisões da Thomas Nelson, a maior editora de obras cristãs do mundo e sexta colocada entre todos os segmentos, para que o livro fosse adaptado para o inglês e distribuído nos Estados Unidos.

Além disso, a história ganhou uma versão cinematográfica e será a primeira fábula infanto-juvenil brasileira, oriunda de um livro, a ir para o circuito nacional de cinema. Com direção da Sergio Assis Filmes, produtora brasileira especializada na produção de longa-metragem e conteúdo audiovisual gospel para televisão.

 “Estamos vivendo um sonho,o elenco está sendo escolhido a dedo e a expectativa é muito grande. Nossa fase de captação de recursos apenas começou, mas estamos entusiasmados”, afirma Monsores.

 A produção deve estreiar nos cinemas em meados de 2015.

 Créditos:Lilian Comunica

Henry Cavill,Novo O Homem de Aço,Homem de Aço é comparado a Jesus para atrair público Cristão. Para divulgar o longa ‘O Homem de Aço’ entre os cristãos, os estúdios Warner Bros. recorreram a um portal segmentado. Na primeira campanha, Jesus é apresentado como ‘o super-herói original’

Em uma tentativa de atrair a audiência dos cristãos, os estúdios Warner Bros. contrataram os serviços de uma empresa de marketing especializada no público gospel para divulgar o filme O Homem de Aço, previsto para estrear em 12 de julho no Brasil. Segundo o site americano The Hollywood Reporter, a primeira iniciativa nesse sentido foi a publicação do texto intitulado “Jesus – O Super-herói Original” em um portal que sugere temas de sermões a pastores.

“As origens do Super-Homem estão baseadas na história de outro super-herói que também viveu de forma modesta até ser requisitado a demonstrar seus superpoderes. Jesus foi enviado por Deus para nos ajudar a carregar nosso fardo, para corrigir nossos vícios e superar as circunstâncias adversas que nos cercam”, diz a mensagem escrita por Craig Detweiler, um roteirista de cinema e publicidade com experiência em textos religiosos.

De acordo com o site, é praxe em Hollywood focar ações de divulgação em audiências religiosas. O próprio Detweiler já escreveu sermões relacionados a outros filmes, como Um Sonho Possível (2009).

O autor foi criticado por alguns cristãos, que repudiaram a forma leviana como falou de Jesus. Em entrevista à rede CNN, Detweiller alegou que é impossível negar a influência de Hollywood na sociedade. “Hollywood testa a nossa fé. Graças a pastores e congregações conscientes dessa influência, os estúdios de cinema têm ouvido a nossa voz “

Créditos: Veja

55_355-Stieg-Larsson

“Os homens que não amavam as mulheres”, o primeiro livro da coleção, só sairia meses depois da morte prematura do autor, que infelizmente não tiraria proveito do sucesso de crítica e de público alcançado pela trilogia – os outros são “A menina que brincava com fogo” e “A rainha do castelo de ar”, todos publicados no Brasil pela Companhia das Letras -, levada às telas na Suécia e, parcialmente, nos EUA, em um longa estrelado por Daniel Craig e Rooney Mara, com David Fincher na direção.

Mesmo que milhões conheçam a história da personagem Lisbeth Salander, poucos sabem da vida de seu criador. O lançamento da HQ “Stieg Larsson – Antes de Millenium” que sai por aqui pela editora  Veneta, escrita por Guillaume Lebeau e ilustrada de forma brilhante por Frédéric Rébéna, ajuda nesta questão. São estas cinco décadas que foram resumidas nos quadrinhos; apesar de curto, o gibi mostra alguns fatos da biografia do escritor. Na verdade, três: a educação infantil, pelos avós, numa floresta da Suécia; a fase, já adulto, o treinamento de guerrilheiro marxista na África; e, finalmente, o períodocomo editor da revista “Expo”, que combatia as manifestações de extrema-direita naquele país e o ativismo antirracista.

Lançada no ano passado na França, a obra de Guillaume Lebeau e Frédéric Rébéna arrancou elogios da crítica em toda a Europa. Vale lembrar que tanto por lá quanto na Europa também já saíram adaptações para os quadrinhos da Trilogia Millenium, ainda inéditas por aqui.

Stieg Larsson: Antes de Millenium tem 64 páginas e vai custar R$ 24,90.

Créditos: Telio Navega

a senhor dos aneis“Amor Incondicional – a história de Oseias”, longa metragem, produzido pelos irmãor Rich e Dave Christiano, produção que tem no papel principal o astro americano Sean Astin, que brilhou no papel do hobbit Samwise, fiel escudeiro de Frodo na trilogia “O Senhor dos Anéis”. Astin também estrelou o popular filme juvenil dos anos 80, “Os Goonies”, de Steven Spielberg. O filme também conta com a presença de Erin Bethea, que atuou no papel de Catherine no filme “Prova de Fogo”, clássica produção cristã.

“Amor Incondicional” conta a história de um grupo de jovens que partem para um acampamento de final de semana. Lá, duas jovens do grupo acabam se desentendo seriamente. Para acalmar os ânimos exaltados, Stuart (Sean Astin), líder do grupo, decide contar a bela história de Oseias como exemplo de respeito e amor ao próximo. A partir de então os jovens se aprofundam na vida do profeta Oseias, que viveu em Israel no século VIII antes de Cristo.

Amor Incondicional

O filme mostra como o profeta Oséias (Elijah Alexander); enfrentou a todos e seguiu a vontade de Deus para se casar com Gomer Tehmina Sunny), uma prostituta, que o traiu e o abandonou, além de ser rejeitado pelo seu povo.   Mesmo assim, seguindo o exemplo do incrível amor incondicional de Deus, o profeta perdoa à esposa e seu povo e volta a cuidar dela depois que é jogada, pelo amante, no mercado de escravos.

O Filme traz uma história onde o verdadeiro sentimento de amor, é demonstrado de forma mais real e pura. Nela, as pessoas apreendem o importante sentido de amar incondicionalmente, sabendo perdoar e não julgar, em uma bela referência ao amor de Deus por todas as pessoas.

Créditos: Gospel Prime

promethesus-movie-posterLançado no ano passado, o filme “Prometheus”, que era o marco do diretor  Ridley Scott ao universo da ficção científica e prometia solucionar as dúvidas existentes na franquia Alien respondeu muito pouco e ainda colocou mais dúvidas no ar, alguns fãs confusos — que não entendiam como as tramas se conectavam e, por isso, criticaram Scott. Agora foi divulgado por Mike Richardson, que é o fundador da editora de quadrinhos Dark Horse, uma das mais importantes dos Estados Unidos, de que a trama de “Prometheus” irá continuar nos quadrinhos paralelamente a sua sequência no cinema.
A informação foi passada ao site Hollywood Reporter e basicamente o empresário diz que “será algo que os fãs do incrível filme de Ridley Scott realmente vão gostar”, de acordo com informações do site, um artista já foi selecionado para desenhá-los mas seu nome ainda não foi divulgado.

A Dark Horse já tem experiência com o universo de Prometheus, tendo publicado regularmente quadrinhos da franquia Alien desde 1988. A editora também é responsável pelo encontro entre Alien e Predador, que depois seria levado ao cinema.
Não há informação se a versão dos quadrinhos afetará ou terá relação com a continuação do filme no cinema. Jack Paglen, é quem escreve o roteiro do novo filme.

O anúncio oficial do projeto, bem como mais detalhes, serão feitos na Comic-Con de San Diego, daqui a duas semanas.

Créditos : Henrique Rizatto

 

 lecio-souto-dublador-chris-evans-

Clécio Souto,carioca e já tem mais de 20 anos de dublagem, ator e dublador, atuou na peça A Serpente (de Nelson Rodrigues), trabalhou muitos anos como ator de teatro até começar com a dublagem, fez pequenas participações em novelas e programas da Globo e Record tais como Sete Pecados, Caminhos do Coração – Os Mutantes, Tv Xuxa, Prova de Amor, A Diarista, Senhora do Destino, Malhação. Trabalhou com a Xuxa por dois anos.

Na dublagem já fez vários personagens, em séries, filmes e desenhos, um dos  destaques na sua carreira de dublador é sem dúvida  a voz de Steve Rogers, o Capitão América, tanto nos filmes interpretados pelo ator Chris Evans quanto na seérie animada “Os Vingadores: Os Super Herois Mais Poderosos da Terra” (Disney XD/TV Globo).

Outros trabalhos são:

Terry McGinnis – o Batman do Futuro

Tentomon de Digimon

James Franco  – nos filmes do Homem-Aranha (Harry Osborn, filho do Duende Verde)

Ian Somerhalder  – Damon Salvatore em The Vampire Diaries

Misha Collins  – Castiel em Sobrenatural

Verne – a tartaruga  (Os Sem Floresta)

Lenny – o tubarão vegetariano (O Espanta Tubarões)

Du – desenho Du, Dudu e Edu);

Frango – desenho A Vaca e o Frango  e Kludd (A Lenda dos Guardiões)

a-paixao-de-cristo0

Pelo menos 10 produções cinematográficas baseadas em personagens bíblicos devem ser feitos em Hollywood nos próximos anos. A maioria dos projetos estão ligados a atores consagrados e devem atrair a atenção do público. Desde a “Paixão de Cristo”, em 2004, que atraiu milhares de telespectadores em todo mundo, o assunto não era tão discutido.

“Noé”, protagonizado por Russel Crowe em breve chegará às telas do cinema. Porém, o diretor Darren Aronofsky já informou que não será uma adaptação fiel das escrituras. Em março também, deve começar a ser filmado “Deuses e Reis”, da Warner Bros com direção de Steven Spielberg.

Segundo já foi anunciado, o roteiro mostrará o povo judeu em luta da liberdade e seguindo um líder corajoso. Em entrevista recente, o diretor Ridley Scott, conhecido por “Gladiador, também comentou que estaria trabalhando em um projeto sobre a história de Moisés”.

Um dos grandes atrativos para o cinema na temporada de Natal promete ser “Maria, Mãe de Cristo”. A sinopse oficial no site fala sobre “humanizar os personagens bíblicos e nos ajudar a compreender como o amor realmente é a base da fé”. Um dos produtores executivos é Joel Osteen, pastor de uma das maiores igrejas evangélicas dos EUA.

Foi divulgado em janeiro que Brad Pitt estaria em negociações avançadas com a Warner para a filmagem de “Pôncio Pilatos”. O roteiro está em fase de finalização pelo diretor Andrew Dominik. Personagens bíblicos como São João Batista, Salomé e Maria Madalena devem compor o elenco.

A estreia de Will Smith como diretor será com o lançamento de “A redenção de Caim”, previsto para 2015. A história sobre ódio entre irmãos, que teriam os mesmos nomes dos filhos de Adão, deve começar a ser filmada em julho deste ano na Jordânia e no Marrocos.

O famoso entre cristãos, “Deixados para Trás”, poderá ser refilmado com Nicolas Cage, no papel anterior feito por Kirk Cameron. O filme sobre o Apocalipse é baseado na série de livros cristãos de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins. As filmagens estão previstas para o segundo semestre de 2013.

“Golias” tem sido anunciado desde 2011, mas pouco se sabe sobre o andamento do filme. O mais polêmico deverá ser “Jesus de Nazaré”, do diretor Paul Verhoeven. O mesmo, já anunciou que não mostrará a pessoa divina de Jesus. O roteiro mostrará uma jovem judia (Maria), um estupro por soldado romano e o fruto desse ato (Jesus). Não há atores confirmados para os papéis e nem data para inicio de filmagens.

Créditos: CHRISTIAN POST