trekconOs fãs da saga Star Trek têm encontro marcado na 17ª TrekCon – Convenção de Ficção Científica, que acontece no dia 3 de agosto, das 14h às 19h, no Memorial de Curitiba. O tradicional encontro dos aficionados pela série televisiva Star Trek (também conhecida no Brasil como Jornada nas Estrelas) terá várias atrações: palestras, debate, apresentação de grupo de dança, concurso de fantasias (cosplay), exposição de memorabilia (itens de coleções) e estandes de divulgação de outros fã-clubes do gênero, que reúnem admiradores de Star Wars , Doctor Who, X-Files e Steampunk, entre outras produções de ficção científica para o cinema e para a televisão.

As convenções e os amantes de Star Trek estão espalhados por vários países. O grupo de Curitiba, denominado Federação dos Planetas Unidos, é um dos mais atuantes do Brasil, e realiza anualmente o encontro que atrai também trekkers de outros estados brasileiros. Pelo menos 500 pessoas transitam pela convenção. Mesmo quem não faz parte do fã-clube pode participar e conhecer os personagens que há quase cinco décadas encantam gerações – Capitão Kirk, Senhor Spock, Doutor McCoy, entre outros famosos tripulantes da nave Enterprise e demais viajantes da Frota Estelar.

A chamada série clássica de Star Trek estreou nos Estados Unidos em 1966. Chegou ao Brasil no final daquela década e conquistou uma geração de crianças e jovens, que até hoje cultivam a paixão pela ficção científica. Foi assim com Roberson Mauricio Caldeira Nunes, 52 anos, presidente da Federação dos Planetas Unidos, a associação que reúne os trekkers curitibanos. “Assistia às séries pela TV ainda em preto branco”, relembra Roberson, que também participa ativamente de outros fã-clubes, como o Conselho Jedi Paraná, o Arquivo X Brasil, a Loja Paraná do Conselho Steampunk e o Whovians Paraná.

Todos esses grupos formam uma legião de amantes da ficção científica, cuja admiração não se limita às produções televisivas ou cinematográficas, mas se estende para outros campos de interesse, como ciência, tecnologia e cultura pop. As séries Jornada nas Estrelas e Guerra nas Estrelas também estão nos quadrinhos e daí a aproximação entre os fã-clubes e a Gibiteca, unidade da Fundação Cultural de Curitiba que foi uma das primeiras a acolher esse tipo de manifestação. As primeiras reuniões aconteceram na Gibiteca e depois, como foram ganhando corpo, passaram a ocupar espaços maiores, como o Memorial de Curitiba. A própria coordenadora da Gibiteca, Maristela Garcia, é uma fã. “Tenho todos os filmes de todas as séries, coleciono tudo o que se refere a eles. Sou apaixonada por Star Trek”, diz.

Nesses anos todos, novos admiradores foram chegando, na medida em que novas produções foram surgindo. Depois de Jornada nas Estrelas, foram feitas outras séries derivadas, inclusive desenhos animados, cujas histórias se passam no mesmo universo, mas em diferentes épocas, entre os séculos XXII e XXIV. Em 2009 estreou no cinema o filme “Star Trek”, e agora neste ano sua continuação, “Além da Escuridão”, com os mesmos personagens da versão original, porém em outra linha temporal. Para o presidente da Federação dos Planetas Unidos a retomada da série terá, sem dúvida, um efeito: aumentar cada vez mais o número de admiradores do universo fictício de Star Trek.

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba