Por Alison Sabino

Fica aqui a homenagem a um dos melhores filmes em efeitos especiais da década. Logo postarei uma crítica mais completa do filme, mas deixo aqui um breve comentário: Poseidon, produção de Wolfgang Petersen, lançado em 2006, se destaca pela ação e adrenalina e, é claro, os efeitos visuais, que concorreram ao Oscar em 2007, perdendo merecidamente para “Piratas do Caribe: O Baú da Morte”, mas não tirando os seus créditos de excelência em efeitos visuais. Refilmagem do clássico “O Destino do Poseidon”, de 1972, esse, de 2006, também se destaca, apesar do primeiro sempre parecer melhor. Segue abaixo a sinopse e trailer do filme:

Uma onda gigantesca faz com que um luxuoso transatlântico, chamado Poseidon, tombe e fique de cabeça para baixo em alto-mar. Poucos são os sobreviventes, que precisam se unir. O capitão Michael Bradford (Andre Braugher) sugere que todos aguardem por socorro no local em que estão, mas John Dylan (Josh Lucas), um jogador profissional, prefere buscar um lugar que lhe dê mais segurança. A atitude de Dylan atrai outros sobreviventes, que decidem segui-lo. Entre eles está Robert Ramsey (Kurt Russell), que está desesperado por não conseguir encontrar sua filha, Jennifer (Emmy Rossum), e o noivo dela, Christian (Mike Vogel).

Também se juntam a eles Maggie James (Jacinda Barrett) e seu filho Conor (Jimmy Bennett), a passageira clandestina Elena Gonzalez (Mia Maestro) e Richard Nelson (Rochard Dreyfus), um homem que embarcou no navio em dúvida se queria viver. Desesperado para encontrar uma saída, o grupo se embrenha no aço retorcido enquanto o navio cada vez mais vai se enchendo de água.

Anúncios