Na época em que “Star Wars Episódio IV – Uma Nova Esperança” era chamado apenas de “Star Wars”, iniciava-se um dos maiores, se não o maior, fenômenos da indústria cinematográfica, criando uma infinidade de subprodutos e legiões de fãs. O filme deu início a toda uma geração de técnicas de efeitos especiais. Também foi responsável por fazer Hollywood largar seu gosto por filmes autorais para preferir filmes grandes e que gerassem bastante renda. “Star Wars” e “Tubarão” são apontados como os primeiros blockbusters legítimos. Dirigido e escrito por George Lucas, “Star Wars” estreou nos cinemas norte-americanos em 1977, fazendo história.

O inesquecível Darth Vader já estava bem claro em sua concepção, mas faltava construir os outros personagens. Já chegou a pensar que Luke (que tinha sobrenome StarKiller) seria um general de 60 anos e Han Solo tinha pele verde e guelras?Mas, felizmente, George reformulou sua idéia e resolveu fazer drásticas mudanças no roteiro.
Depois teve de convencer o estúdio a bancar seu projeto. E ele queria mais. Queria revolucionar o cinema com efeitos jamais vistos antes. Foi assim que nasceu a ILM (Industrial Light & Magic), a maior empresa de efeitos especiais da atualidade.Depois começou a escalar o elenco. Nomes como Jodie Foster, Kurt Russell e Sissy Spacek foram cotados para o elenco principal. Mas Mark Hamill, Carrie Fisher e Harrison Ford que foram escolhidos e se tornaram celebridades logo após o lançamento do filme. David Prowse foi escolhido para ser Vader, mas o que realmente não agradava era sua voz que não combinava nada com seu imponente porte. Foi aí que James Earl Jones apareceu com sua voz forte, assustadora e marcante que nos faz dar pulos de ansiedade quando ele pronuncia: “Yes, my master”.

Cineastas como Peter Jackson, Ridley Scott, Dean Devlin, Roland Emmerich, Kevin Smith e John Singleton dizem ter se influenciado de alguma forma pelo longa, e James Cameron (de “Titanic”) resolveu virar diretor por causa dele. O crítico inglês Tom Shone diz que Spielberg e Lucas foram responsáveis por devolver ao cinema sua função original, a de entreter o público.

Por mais que tenha estabelecido um certo padrão na realização de blockbusters, algo “Star Wars” não tinha: atores famosos. O intérprete do caçador de recompensas Han Solo, Harrison Ford, teve sua primeira grande oportunidade de atuar em “Star Wars” e nos dois episódios que seguiram. Depois, fez muito sucesso também como o personagem-título da série “Indiana Jones”. Já os outros dois atores protagonistas, de Luke e Leia, seguiram um pouco apagados. Carrie Fisher até continuou fazendo alguns filmes e participações em séries de televisão, mas Mark Hamill só é reconhecido por interpretar Luke e fazer a voz do Coringa em “Batman – The Animated Series”, além de outros trabalhos de dublagem.

“Star Wars” é, na verdade, uma união de vários conceitos já utilizados em outros meios. George Lucas inspirou-se maciçamente em “A Fortaleza Escondida” (1958), de Akira Kurosawa, filme que até inclui um par de plebeus reclamões, mais tarde moldados nos robôs C-3PO e R2-D2. Há fortes influências também do seriado da década de 30 “Flash Gordon”, que misturava política com ficção-científica e um pouco de fantasia. Aliás, Lucas sempre descreveu “Star Wars” como uma mistura até então não experimentada de ficção-científica e fantasia. Ele diz ter traçados vários paralelos com o mais célebre dos livros de J. R. R. Tolkien, “O Senhor dos Anéis”. Outra grande aposta em ficção-científica de alguns anos antes, “2001 – Uma Odisséia no Espaço”, também teve vários conceitos aplicados em “Star Wars”.

O filme foi indicado a 11 Oscar e ganhou sete: Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino, Melhores Efeitos Especiais, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora e Melhor Som. Ganhou ainda um Oscar especial, dado a Ben Burtt, pelo seu trabalho junto aos efeitos sonoros do filme.Lucas teve, na verdade, uma brilhante idéia, mas não tinha qualquer talento para dirigir ou escrever roteiros. Provou sim ser um ótimo empreendedor, usando o sucesso de Star Wars para fundar outras grandes empresas como Skywalker Sound, THX e Lucas Arts.

“Star Wars” é uma bela história de amor, amizade e política, numa união que raramente vemos hoje. Infelizmente a busca por mais público teve mais atenção. “Star Wars” gerou duas outras continuações que até permaneceram no mesmo patamar. Alguns anos depois, porém, Lucas aproveitou a tecnologia avançada disponível em 1999 para filmar uma trilogia que se passava antes de “Star Wars”.

Anúncios