Documentário em homenagem aos 50 anos da Nouvelle Vague, movimento francês de vanguarda que revolucionou a forma de se fazer cinema, influenciando cineastas do mundo inteiro, Godard, Truffaut e a Nouvelle Vague tem como foco principal a relação de dois críticos que se tornaram cineastas. Donos de personalidades e origens distintas, Jean e François iniciaram sua amizade pelo amor ao cinema. Frequentavam o mesmo cineclube, gostavam dos mesmos filmes e se tornaram conhecidos, e influentes, por revolucionar o modo de se escrever críticas de cinema, na importante Cahiers du Cinéma.

O filme mostra a vida paralela de dois dos mais importantes críticos/cineastas, o já falecido François Truffaut e Jean-Luc Godard. E que, brincando, polemizando e renovando, mudaram a história do cinema.

O documentário tem o poder de mostrar com dois mestres maiores do cinema francês pensavam suas obras, seu censo de criação e acima de tudo, a exposição de suas idéias através do cinema. Sem suas assinaturas, talvez o cinema francês não encontrasse um perfil próprio. Se naufragou no fim dos anos 60, pelo menos conseguiu ao longo da década mandar seu recado, conquistando um legião de fãs até hoje. É dessa forma que Emmanuel Laurent, o diretor, pensou seu documentário. Sem abrir concessões, Laurent detalha a origem da Novelle Vague, a união dos cineastas, traça ainda suas origens para mostrar suas diferenças e ao mesmo tempo suas semelhanças. Apesar de virem de mundos diferentes, ambos nutriam da mesma paixão: O cinema.

Eles tinham muito em comum, além de utilizarem o mesmo ator Léaud, que seria o alter ego de Truffaut como Antoine Doinel. A mesma formação, o culto a Hitchcock, Hawks, Welles e alguns outros cineastas.

A Revolução de 1968 causou um rompimento do movimento e da amizade de Godard Truffaut. Os dois tomaram rumos opostos e, ideologicamente, não aceitavam a escolha um do outro. Godard passou a fazer um cinema crítico e engajado, enquanto Truffaut se manteve à parte de debates políticos. Mesmo que você goste mais de um do que de outro, dos dois ou até mesmo de nenhum, não pode negar a importantíssima contribuição de ambos para o cinema. No fim, o que os uniu e os separou, foi o amor à sétima arte. Uma verdadeira aula de cinema. Estréia 28 de Maio de 2010.

Anúncios