Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo.” A frase marcada num bar de beira de estrada nomeia o filme nacional e é o fio condutor para os pensamentos de José Renato (Irandhir Santos), que sai para uma viagem de um mês pelo Sertão nordestino.

E o filme também tem uma marca pessoal e intransferível. Os aclamados Marcelo Gomes e Karin Ainouz dupla que também conduziu “Madame Satã” (2002) e “Cinema, Aspirinas e Urubus” (2005). O diretor consegue uma narrativa ímpar com a história do geólogo José Renato (Irandhir Santos), enviado para realizar uma pesquisa de campo durante a qual terá que atravessar todo o Sertão,  região semi-desértica,  isolada,  situada no Nordeste do Brasil.

O objetivo é avaliar o possível percurso de um canal que será construído a partir do desvio das águas do único rio caudaloso da região. Muitos lugares por onde José Renato passa serão submersos; muitas famílias que ele encontra serão removidas. O geólogo começa a se identificar com o vazio, o abandono e o isolamento dos locais por onde passa.

A produção, em tom de documentário, é composta por quadros estáticos, como fotografias, que retratam personagens locais, a paisagem isolada e as estradas vazias. As cenas ajudam a construir a ideia de solidão de José, mais intensa à medida que o geólogo se envereda pelo Sertão. Karen Harley faz um trabalho brilhante de montagem, reunindo registros em super-8, 16 mm e digital numa concisão narrativa que emociona, movida pela trilha sonora de Chambaril e a voz de Irandhir, que apesar de invisível está presente o tempo todo.

Viajo porque preciso, Volto porque te amo é uma viagem original e inesquecível, uma busca de um homem em torno de si mesmo e da saudade que o corrói, mas também o movimenta.  O Filme estréia em 7 de Maio de 2010.            Trailer Aqui

Anúncios