Baseado em um livro de Cormac McCarthy (a mesma mente criativa que concebeu Onde os Velhos Não Têm Vez) adaptado fielmente pelo roteirista Joe Penhall a direção é de John Hillcoat (The Proposition – 2005). A história é sobre um homem “Viggo Mortensen” (que não tem nome, se chama Homem) e seu filho “Kodi Smit-McPhee” (que também não tem nome, se chama Rapaz), vivendo em um mundo pós-apocalíptico, bem no estilo “Mad Max”.

Os dois sobrevivem no limite, em situações extremamente precárias, no caminho aprendem com muitas coisas e pessoas, mas principalmente, um com o outro. Os dois estão indo para o sul, fugindo do rigoroso inverno. Durante essa perigosa odisséia, o Homem vai lembrando dos últimos dias do “mundo normal” ao lado de sua mulher “Charlize Theron”.

A Estrada é um ótimo filme. Visual e narrativamente, A Estrada marca e não é um filme para fracos. Seco, cru, forte e realista “A Estrada” mostra sem pudores o fundo do poço. O futuro da humanidade, em que existem os “tipos bons” e os “tipos maus”, e que ambos são do tipo “mendigo”.  A luta pela sobrevivência, os resquícios de alma nos homens e uma faísca de esperança nas poucas crianças, fazem de “A Estrada” mais do que um simples filme sobre o fim dos dias e um perfeito retrato de quem somos nós, sobre nossos limites, sobre até onde vamos por nós mesmos e por nossos familiares. Enfim, é sobre um futuro certeiro e próximo. O tempo em A Estrada é fundamental, porque trata-se de um raro “faroeste”, entre aspas, onde o futuro depende não só do presente mas também do passado.             Trailer Aqui Estrada estreia em 23 Abril de 2010 no Brasil.

Anúncios